Pular para o conteúdo principal

Who Is?

Então, cara...
Sabe quando você tenta de todas as maneiras?
Quando você caminha sem água, sem chão e só come poeira? Você deita, você cai e rala seu joelho, demora a levantar e não acredita mais ter forças?
Você carrega o peso do mundo nos ombros, você procura afago e só encontra pancada e porta fechada?
Sabe, cara...
Quando todas as forças do mundo se revoltam contra você e tudo o que te dizem é um foda-se bem grande e sonoro na sua cara porque tudo até então foi em vão e nada, além de nada, restará; quando tudo o que te sobra de você é você mesmo e os restos de que um dia tu foi e não sabe mais como juntar.
Está tudo uma bagunça!        
Tudo um lixo, tudo uma merda...
Como que você consegue descansar com uma bagunça ao seu lado, sendo que essa bagunça é você? Como você vai conseguir ajeitar a cabeça sendo que você não encontra a paz?
Nada é possível nesse exato momento. E você deita, rola, toma café e come todos os chocolates possíveis, pensa-repensa, sem saber o que fazer.
Não posso desistir, não posso fingir que todos os meus esforços foram em vão e eu estou aqui apenas de plateia enquanto eu acabo sucumbindo a algo que não sou e não é meu.
Tome essas dores porque elas não são minhas.
E também essas mágoas.
E também essas lágrimas.
E também esse rancor.
E também esse desamor.
Devolva-me o que é meu por direito e que está com você.
Parte do meu sorriso parte quando você parte e quando você volta, ele já não é mais puro.
Meu peito sufocado, se afoga nas lágrimas que já não existem mais. O sufoco me tira do foco e eu não sei mais onde me afogo para tentar afogar tudo isso.
Procuro arrumar tudo, me arrumar e tentar roubar de você tudo que é meu.
Mas como eu posso roubar algo que é tão impermeável, como eu posso invadir algo que não me deixa chegar perto?
Fere, machuca, dói...
E tudo aquilo que um dia foi, hoje já não é mais.
Preciso encarar os fatos: eu cresci.
E se foram tantas coisas com você, antigo-eu.
Espero que não voltes mais, porque eu preciso me reformular. Eu preciso me achar.
Eu preciso buscar alguém que eu nem sei quem sou, mas que irei achar e eu vou...
Sem destinos, sem encontros, somente eu.
Porque se perder também é caminho, mas se achar é divino demais.
Quebro o espelho e rompo com tudo aquilo que fui.

Eu soul. 

Comentários

  1. Pequena,

    "mas se achar é divino demais." Você transcreveu esse momento tão incrível que achar-se no divino. Que delícia te ler.
    Engraçado que no início do texto, tudo parecia tão perdido, mas no final, ficou um sentimento tão bom de encontro... sabe? Desejo essa boa notícia.

    Beijo! É sempre um prazer me encantar com você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda!
      Te amo!
      Saudade do seu abraço e das suas palavras.

      Excluir

Postar um comentário

Abrace você também...

Postagens mais visitadas deste blog

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.