Pular para o conteúdo principal

Encontro

Se reconhecer em uma pessoa não é tão difícil. Difícil, talvez, seja o encontro.
Em tantas voltas que o mundo dá, a pessoa mais sem graça e sem jeito é a que se encaixaria no teu jeito igualmente sem graça de ser. E por que esperar tanto um príncipe encantado montado num cavalo branco, vestido numa armadura reluzente?
Não, não, não.
Venha maltrapilho e maltratado
Venha com tuas cargas de um passado não tão distante
E conforta tuas dores aqui perto de mim. Conforta-me.
Conte-me tuas histórias, tua infância, tua adolescência, do teu cabelo emo, dos encontros que teve, até das namoradinhas passageiras e eu prometo rir de tudo - e me esforçar ao máximo para não sentir ciúmes - pois sei que nos encontraremos ali, naquele instante.
Escuta-me em silêncio ou afobe-se para falar, desse teu jeito molecão. Faça piada e faça-me rir quando estiver brava, principalmente quando diz que adora os trejeitos que tenho quando estou raivosinha. Me faça ser feliz até nos momentos em que estiver furiosa com você.
Faça-me deitar no teu peito e esquecer as dores que fazem de mim uma pessoa tão forte-tão frágil, ao mesmo tempo. Dê-me um cheiro e diga, baixinho, que me ama e que sou linda até quando acordo, mesmo eu sabendo que é uma mentira.
O que digo, apenas, é que quero que me faças feliz como faz toda vez que vira e sorrir, como quem não quer nada e para... olha... vira e diz que não.
Não faço manual de "como ser feliz em sete passos", pois acredito na felicidade no seu modo real de ser, vivendo a vida no amor das coisas simples.
Reconheço-me em ti pelo simples fato de sermos, apenas.
Não consegui encontrar nada que viesse depois do sermos, então preferi deixá-lo sem complemento.
O encontro ocorre quando o reconhecimento torna-se algo constante em nossa vida.
Reconheço-me em ti
Reconheço-te em mim
Reconheço-nos no fio de eternidade que o amor proporciona.
Encontrei-me!

Comentários

  1. Ah, como é gostoso e benéfico esse encontro!
    O amor é lindo, não é? =D

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Abrace você também...

Postagens mais visitadas deste blog

sem rumo

Passado o tempo Es pa ço Apressa o passo Rumo Ao Sem rumo. Não há volta, Nem caminhos Tra ça dos Os laços Desfaço Os nós E sigo... Sem rumo Ao
Meu mundo.

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.