Pular para o conteúdo principal

Queéqueé?

Enquanto me escondo nos meus erros, você se encontra neles. Como é possível óleo e água unir-se tão bem um ao outro?
Enquanto a vida flui, tento entender o porquê da insistência em nós. Acho que é o amor.
Amor, ah o amor. Linha tênue com a realidade. Ponto a ponto. Traçando tudo que se há.
Quem seria o destino nesse circo?
Pergunta fatal.
Coloque as cartas na mesa e leia a minha mão, mas nunca o meu coração.
Coração dos outros é terra que ninguém anda, porém você já até alojou-se no meu.
Apropriou-se.
Tomou-o.
Quem encontrou o amor?
Pergunta animal.
E isso é o que somos.
Animais sedentos por coisas incompreensíveis e inexistentes.
Apenas respostas.
Para as seguintes perguntas:
O que é o destino?
O que é o amor?
Você
Você

Eu&Você. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

sem rumo

Passado o tempo Es pa ço Apressa o passo Rumo Ao Sem rumo. Não há volta, Nem caminhos Tra ça dos Os laços Desfaço Os nós E sigo... Sem rumo Ao
Meu mundo.

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.