Pular para o conteúdo principal

Entrelinhas

- Oi! Tudo bem?
(Não!
Para falar a verdade, nada bem.
Acho que está pior do que possa imaginar.
Creio que os meus problemas ultrapassam as barreiras de “tudo bem ou tudo mal”.
Andam numa escala na qual eu não posso definir agora.
São problemas pessoais, familiares, íntimos, de amor, de tudo um pouco.
As páginas e os dias seriam poucos se eu quisesse contar para você o que realmente anda acontecendo.
Mas será que você iria querer me ouvir?
Será que você teria tempo e disposição para ouvir tanta baboseira alheia?
Porque quando se trata de outro, do próximo, do irmão, nunca temos o tempo suficiente.
Somos egoístas o tempo inteiro, por força de vontade e não fazemos a mínima questão de mudar ou tentar, ao menos, esconder essa parte monstruosa do ser.)
- Tudo bem! E contigo?

Comentários

  1. rs...segredos do coração...rs
    Bjs, moça! Bom vir aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só nós sabemos os inúmeros segredos que carregamos.
      Beijos, moça.
      Volte sempre e sinta-se à vontade.

      Excluir

Postar um comentário

Abrace você também...

Postagens mais visitadas deste blog

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.