Pular para o conteúdo principal

Sabe?

Hoje eu acordei, olhei pela janela e vi o sol a brilhar. Pensei: “Nossa, como o dia está lindo e a vida passando rápido para ficar se preocupando com besteiras.”
Lavei o rosto, olhei-me no espelho. É, o tempo anda realmente passando para mim. Passando rápido, voando, sem muito tempo para muitas coisas pequenas e inúteis.

Segui o dia.

Não havia muito o que fazer a não ser seguir o dia. Tomei aquele bom e velho café, refleti sobre coisas que estão acontecendo dentro de mim. O café fez questão de dissolver algumas. Melhor, resolveu deixar pra lá.

Segui o dia.

Seria burrice dizer que não pensei em você um minuto sequer. Claro que pensei! Volta e meia penso e fico rindo, relembrando de certas coisas nossas. É uma sensação agradável que me faz afastar outras coisas de dentro de mim. Isso me conforta, sabe?! Por mais que eu não tenha notícias o dia inteiro de você, lembrar de coisas acontecidas faz eu me sentir bem.

Segui o dia.

Ando muito pensativa ultimamente. Procuro “n” formas de desabafar algo que eu não sei exatamente o que é e não consigo encontrar. Continuarei procurando. Tento me distrair olhando para a televisão, mexendo no controle buscando algo que realmente me chame atenção, viro para um lado, para o outro. Realmente sinto a sua falta.

Segui o dia.

Dormi um pouco para disfarçar a imensa vontade de comer qualquer coisa besta pela frente. Ah, não sei, por vezes acho que isso tudo é bobagem da minha parte. Por outras, não. É realmente necessário tudo isso. Desculpa por ser meio inconstante algumas vezes. Essa minha opinião forte e decidida volta e meia esbarra em alguma coisa e BAN! Surge tudo isso! Creio que não faça mal, mas há quem diga o oposto. Seria um saco se tudo fosse perfeito.

Segui o dia.

Seguirei os dias, as noites, a semana. Tudo continuará na mesma e você permanecerá no meu pensamento.

Segui a vida...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…