Pular para o conteúdo principal

Envolva-me

Sentei-me na varanda e abri meu livro favorito. Estava precisando me distrair de você, buscar uma nova inspiração para minha vida, mas cada palavra dele me rematava para você.
Busquei outra forma de me distrair de você. Fui ouvir músicas, pensar em outras coisas. Nada!
Só você.
O tempo todo, a todo instante, em meu pensamento.
Penso: Como fui deixar isso acontecer?
Jurei-me forte, pensei que tinha parado com essa ânsia infantil de apaixonar-me todos os dias por um sorriso fácil, mas parece que me enganei.
Pobre de mim!
Parece que isso nunca acaba. Uma teia, um círculo vicioso, uma areia movediça. Me meti em encrenca mais uma vez, me meti num beco sem saída ou qualquer coisa que isso pareça e não consigo livrar-me disso.
Pobre de mim!
Não sei mais o que fazer, não mais nem se quero fazê-lo. Apenas espero.
Não farei mais promessas, não farei mais orações, não tentarei mais desvendar suas deixas. Mas, permanecerei aqui. Infelizmente, permanecerei aqui estática para você.
Aguardando uma deixa para um adeus, uma saída desse beco sem saída, uma luz no fim do túnel ou qualquer coisa do tipo.
Agora, pare aí e deixe-me admirar seu sorriso fácil, enquanto trago meu cigarro, tomo meu whisky e me envolvo cada vez mais.

Comentários

  1. Envolver-se no outro pode ser uma forma de se encontrar, mon cher.

    ResponderExcluir
  2. quando vc abrir a porta certa, vai encontrar o cômodo que procura...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Abrace você também...

Postagens mais visitadas deste blog

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.