Pular para o conteúdo principal

Renova-me

Não sei o que me agrada nesse momento. Para falar a verdade, não sei o que sinto nesse momento.
Essa mescla de sentimentos dentro de mim leva-me a não sentir nada além de nada, e de muita indiferença para com os sentimentos alheios.
Não que eu não ache bonito amar ou ser fiel a uma amizade, acho lindo e um gesto muito nobre. Mas é que às vezes cansa demais.
Ai, baby, difícil dizer o que se passa em mim, na verdade.
Eu não sei, eu não sei mesmo. Juro que estou tentando me entender, te entender, nos entender para tirar alguma conclusão dessa história toda. Mas, confesso, está difícil.
Não são faltas de tentativas, muito menos de esforço.
Ponho nossa música, danço conforme o tempo e o vento.
Não sinto nada.
A verdade é que estou tão cansada, baby. Cansada de tudo e de todos.
Au revoir, vou para Paris. Redescobrir-me.
No amor, nas ilusões, na vida.
Eu sei que tenho fé dentro de mim e em mim. Só não sei como usá-la. Ou não quero usá-la.
Vida, louca vida. Vida breve e leve.
Vida, louca vida. Vida imensa e intensa.
Carregue-me, faça de mim teu tapete, teu chão.
Exponha-me, lave-me, ponha-me para secar.
Renova-me, vida.

Comentários

  1. Vida louca, vida breve, me lembrou Cazuza. Amei o texto, gosto do teu blog.
    Visite-me/ Mery
    Bjus

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Abrace você também...

Postagens mais visitadas deste blog

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.