Pular para o conteúdo principal

Eu Que Não Tive Você

Olho sua taça de vinho quase todos os dias, pois a deixei intacta em cima daquela mesa. Talvez seja um modo de reviver aquela noite... Louca, intensa, cheia de paixão, fogo e desejo. Passageira.
Como fui deixar me envolver você? Por suas falsas e decoradas palavras, seu sorriso fácil e sua pele macia?
Fui fraca, eu sei.
Deixo tudo ali do mesmo jeito, deixo tudo bagunçado. Dentro e fora de mim, sua ausência pertuba e me enfraquece a cada dia.
É que você, por mais que viesse por outros motivos, me ouvia.
Ouvia meus choros, meus risos, minha besteiras e abraçava minha loucura.
Estou sendo fraca de novo, eu sei.
Não me culpo, não me rendo, não me arrependo.
De um certo modo aprendi, mas não é a primeira vez que isso me acontece. Não é a última que irá acontecer com você.
Sejamos francos, sejamos hipócritas: sabemos que ficou algo de ambos, em cada um.
Foi recíproco e você sabe.
Mas preferimos esconder, preferimos fingir que nada aconteceu e que não cruzamos os caminhos, os destinos.
Que o futuro se torne passado antes mesmo de se tornar presente.
Vamos viver, deixar viver. Lei da vida.
Agora vá!
Deixe-me com meu vinho, meus cigarros e minha dor: ausência de você em minha vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…