Pular para o conteúdo principal

Big Bosta Brasil

Vagando pelos sites da vida logo pela manhã, deparo-me com uma notícia: BBB 11 tem 20% a mais de lucro do que última edição, ou algo do tipo assim. Pudera, pois essa edição número 11 do Big Brother Brasil ultrapassa todos os limites de apelação possível. Apelação sentimental e a pior, apelação sexual.
Eu gostaria de saber o quê as pessoas veem nesse programa de tão bom que prende a atenção delas? Sinceramente, não vejo nada. Fofoca, intrigas, baixaria, apelação e falta de conteúdo cultural são os principais elementos do Big Brother Brasil 11.
Não sei o quê e nem pra quê a TV Globo investe em programas de tão baixo nível cultural, sendo que o que alimenta a alma e o espiríto são valores éticos e morais que devem ser passados a cada dia como uma lição e tais estão sendo vergonhosamente deixados de lado para que o apelo sexual domine. Não sei se cabe perfeitamente aqui, mas vale dizer aquelas palavras velhas e de bom uso: "É por isso que o País não vai pra frente."
Temos tantas pessoas de alma grande e caráter digno para admirarmos, como os milhares de trabalhadores brasileiros ou então as pessoas que buscam seu lugar ao sol. Sim, esses sim são dignos de admiração ou de serem chamados de "heróis", como diz o querido apresentador Pedro Bial com os participantes do BBB.
Sabemos que é um programa que influencia e muito a cabeça de jovens e adultos, é um programa que vai ao ar em rede nacional, independente da faixa etária e do conteúdo colocado ali, está ali pra quem quiser ver e pra quem não quer também.
Me perdoem os telespectadores desse programa, mas esse programa não é digno de meu respeito.
Um "salve-se quem puder" pra quem o assiste.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…