Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2010

(Não) Procura-se Respostas

Se pudesse resumir sua vida em uma palavra, diria sempre "FRÁGIL". E não saberia ou não teria como explicar, nunca foi muito de buscar explicações mesmo.
Gostava muito de se aventurar, mergulhar no desconhecido. Uma proeza. Aventureira e cheia de vida, entrava de cabeça e não importava se era raso ou fundo, se poderia ou não se machucar, sempre dizia pra si mesma que essa vida é feita para se aprender e se viver. Ah, e como a vivia.
Não podia reclamar de vivências, pois ela era muito viva. E isso estava escrito nas linhas e expressões de seu rosto. E como foram escritas essas linhas? Choro? Risos? Vai saber.
Não era muito de explicações, mas sim de ações. Conhecida como incógnita, por onde passava deixava dúvidas e lembranças, e deixava também saudades. Dizia sentir saudades também, mas preferia seguir em frente, pensavar ser melhor. Não gostava de viver de ilusões. A vida era um tanto grande demais para ocupar espaços com coisas tão pequenas e sem retorno. Tinha um pensamento…

Meros Devaneios Tolos

É difícil dormir à noite quando não se tem vontade, principalmente quando devaneios mil inundam sua cabeça e afogam-se em seu ser.
Por quê? Pra quê? Com que?
Questões e mais questões. Respostas? Nenhumas.
Não consigo encontrá-las, mas se você as virem, as diga que eu estou à procura delas.
E diga também que elas parem de pertubar o meu sono, oras!

Uma tal conexão

Sempre quis ter uma conexão especial com o mundo. E uma conexão meio que discreta, meio disfarçada. Queria criar um segredo entre eu e terceiros, fora de um mundo completamente do meu.
Formas e forças de expressão todos têm. Alguns são bons no canto, outros na dança e outros optam por escrever. Creio que escrever é mais que uma arte, é um dom. É uma forma e uma força de expressão paradoxa. Complicada e simples, ao mesmo tempo.
Não era boa por meio das palavras e acabei me descobrindo na escrita. Sou feliz por isso.
Escrever, demonstrar por meio de uma terceira pessoa, deixar subentendido.
Ah, é instigante, é diferente. E instiga por ser diferente.
Clarice Lispector sempre dizia em seus textos que escrevia pra se descobrir, pra salvar sua vida, que queria uma liberdade que fugia das coisas já vistas, e ela encontrou na escrita. E incentivou muitas outras pessoas a encontrarem.
Queria criar um segredo diferente, queria criar laços mesmo sem ter conhecido, queria criar semelhanças com outras …

Preciso de...

Preciso andar, berrar, correr, doer, enlouquecer, fazer, gargalhar, harmonizar, implicar, jogar, lambuzar, machucar, nadar, obrigar, parar, querer, renascer, salvar, ter, unificar, ver...
Preciso de tantas coisas.
Coisas pequenas, coisas imensas.
E dentre elas, existe você.
Tornando essa sede de necessidade imensa, maior que todas as minhas vontades.
Encontro-me, neste momento, em completo estado de abstinência.
Volte, rápido.
Venha e me faça andar, berrar, correr, doer, enlouquecer...

Um Certo Sentimento

Olhava e tentava entender o porquê da sua ânsia enorme de agrado para com os outros. E em muitas vezes, ela esquecia de agradar a si mesma.
Sempre tão rodeada de pessoas, que muitas vezes não valiam a pena, ela se sentia feliz ou sentia que aquele buraco em sua alma estava fechado.
Porém, um dia ela acordou e decidiu selecionar. Selecionou a dedo, selecionou aquelas pessoas que eram coerentes com o seu modo de vida, de visão, de gosto. Ela gostava de tê-las por perto. Se sentia muito bem. E depois dessa seleção não ficou mais 5 ou 6, beirando.
E quanto aquela ânsia de querer agradar aos demais? Ela mandou pra puta que pariu! Isso mesmo, pra puta que pariu!
Não queria mais mesmo ter de pensar nos outros, queria pensar nela, na sua vida, no seu momento. Ela podia ser feliz, ela era feliz. Apenas não sabia.

Live Forever

Leveza. Bonita, jovem, sedutora, delicada. Dura, difícil, árdua. Equilíbrio, dia-a-dia. Vida.
Liberdade. Beleza incontestável.