Pular para o conteúdo principal

No Limiar da Eternidade.


Vicent Van Gogh disse: Quero fazer desenhos que emocione algumas pessoas.
Ele expressava suas emoções através de suas pinturas. O que será que ele quis expressar ao pintar este homem com as mãos no rosto. Tristeza? Dor? Solidão? Raiva? Desencanto? Desilusão? Mágoa?
Não sei, somente Van Gogh poderia nos explicar.
Momentos de reflexão temos sempre de ter, principalmente numa certa etapa de nossas vidas.
Fica aqui então, uma pintura de Vicent Van Gogh, e um quê de reflexão.
O que você sente neste momento?

Comentários

  1. é verdade... A gente nunca vai saber o que ele quis dizer com o quadro, mas cada um de nós é capaz de entender aquele quadro de uma maneira diferente. Então de uma forma ou de outra está sendo passado algo através deste quadro.
    *-*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Abrace você também...

Postagens mais visitadas deste blog

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.