Pular para o conteúdo principal

Amigo é coisa pra se guardar...

Se não bastasse agora inventaram o dia do amigo. O comércio se aproveita disso pra lucrar, outros aproveitam pra lembrar que existem amigos e outros pra desejar feliz dia do amigo ao cachorro.

Bem, eu já não sou desse tipo. Eu não quero e nem vejo porquê ficar celebrando a amizade somente hoje. Ela é pra ser celebrada todo santo dia, ao lado de quem merece, é claro.

Disse a uma amiga minha hoje que eu não precisava desse dia em especial pra dizer o quanto a amava e o quanto ela era essencial em minha vida.

A uma outra amiga disse que esperava contar com ela por minha vida inteira, pois já estou há 6 anos com ela. E quem me atura há seis anos merece um prêmio nobel da paz e de coragem. Rs.

A alguns outros amigos dei meus votos sinceros e espero contar com eles, pois eles podem contar comigo.

Amizade, amigo, sempre vi como um laço muito forte de afeto existente entre dois seres ou num grupo inteiro, um laço que com o passar do tempo vai ficando cada vez mais forte e concreto.

Tenho amigos fortes e que me apoiam, dentre os quais converso sobre futebol e outras besteiras. Porém, nunca deixaram de colocar a mão no meu ombro e mostrar qual o caminho certo. Ou melhor dizendo, o cruzamento certo.

Tenho amigas doces e sensíveis, dentre as quais me fazem muito bem. Choram, sorriem, aconselham, buscam conselhos. E dá abraços, carinhos, broncas. E oferecem uma mão, um braço, um abraço, um coração. São amigas fortes. Amigas nas quais eu não troco.

Se eu quisesse uma vida cheia de amigos, talvez eu não fosse feliz. Eu tenho tão poucos amigos, que consigo contá-los nos dedos. Mas, são suficientes para que tenham todo o meu amor.

Obrigada por estarem presentes em minha vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

sem rumo

Passado o tempo Es pa ço Apressa o passo Rumo Ao Sem rumo. Não há volta, Nem caminhos Tra ça dos Os laços Desfaço Os nós E sigo... Sem rumo Ao
Meu mundo.

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.