Pular para o conteúdo principal

Hibernando

O que dizer dos dias que se passam? Extremamente chatos. Numa chatice incompreensível.
Passei a ler Feliz Ano Velho, do Marcelo Rubens Paiva. Ótimo livro, eu recomendo.
E fico naquela de sala-quarto-cozinha. Pelo menos estou fazendo o sangue circular nas pernas, né?!
Outra diversão garantida é minha paixão, Friends. Altamente patriota, do tipo "I Love New York", mas eu adoro eles.
Mas, quando tento vê outra coisa, não aguento mais "Bruno, Bruno, Bruno". Antigamente era "Copa, Copa, Brasil hexacampeão mundial" Ai acabou-se a copa, a fama de 15 minutos do polvo acabou, vamos dá ala ao mais novo assassino e aquele que está dando mais pontos de audiência a televisão brasileira, Bruno, ex goleiro do Flamengo. Ai Jesus!
E o melhor de tudo neste caso é o tanto de gente que está aproveitando pra aparecer. É pior do que o polvo vidente. Puta Que O Pariu!
Esses são os dias mais chato de minha vida! Férias antigamente era mais legal, mais divertida. Mas, tá foda.. Vou meter a cara no livro do Rubens Paiva, no meu blog e dá muitos beijinhos no meu namorado. Isso sim, está salvando minhas férias.

Comentários

  1. É amor, o nome disso é cotidiano!

    Prometo estar ai pra quebrar essa sua rotina. Bjus amor, te amo mto!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Abrace você também...

Postagens mais visitadas deste blog

sem rumo

Passado o tempo Es pa ço Apressa o passo Rumo Ao Sem rumo. Não há volta, Nem caminhos Tra ça dos Os laços Desfaço Os nós E sigo... Sem rumo Ao
Meu mundo.

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.