Pular para o conteúdo principal

Eterno Aprendiz.

Hoje acordei como se tudo tivesse diferente. E estava diferente, pelo menos em mim. Não era um dia qualquer, era meu aniversário.
Fui olhar no espelho e me questionei: O que posso colher?
Vi que existem marcas. Marcas no meu olhar, marcas no meu sorriso, marcas de uma vida que venho trilhando e que hoje me fez lembrar que não é em vão.
Não é em vão porque me torno um aprendiz. Sim, um aprendiz eterno. Quem disse que a vida para só por que é meu aniversário? Que nada! Ela continua, continua... E me faz aprender cada dia um pouco mais.
Imagina se eu contasse as minhas histórias hoje em dia? Não seria legal, não sei tudo que se deve saber pra escrever um livro. Se eu começasse hoje, daria só umas três páginas suadas do tanto que eu aprendi. E não aprendi sozinho.
Devo aquelas pessoas que me fizeram e me fazem bem, espero poder contar com vocês por um bom tempo pra acrescentar rugas de sorrisos no meu rosto. E aquelas pessoas que me fizeram mal, não as odeio, pelo contrário, as agradeço. Obrigada por me fazer, em cada lágrima salgada e desperdiçada dos meus olhos, a aprender com os erros e com vocês.
Me devo nada mais que agradecimentos e felicitações por está aqui hoje e por fazer cada ano de minha vida valer a pena.
Afinal, é pra isso mesmo que vivo intensamente.
Parabéns pra mim por ter você. Parabéns a você pelo seu dia, Rafael Feitosa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.