Pular para o conteúdo principal

Do Contra.



Você já se sentiu indo contra uma multidão furiosa, sozinha, apenas você e suas ideologias?

Eu me sinto assim quase o tempo todo.

Você já se sentiu odiada pela maioria avassaladora, já sentiu aquele tipo de olhar que quer te fuzilar por você contradizer tudo o que pensam, que sentem, que acreditam que possa ser verdade?

Na verdade, isso não é nada ruim. Pelo menos dentro de mim. Me sinto satisfeita por ser, talvez, odiada. Me sinto feliz por ser diferente, ter uma opinião diferente e gostar de coisas diferentes da juventude de hoje em dia. Pra mim, é muito prazeroso.

Enquanto puder e enquanto não conseguirem me calar, estarei por aí... Sendo do contra, sim!

Com prazer em expressar minha opinião, em debater e em ser mal vista pelo cotidiano cego e estúpido que me cerca.

Comentários

  1. Certíssima! Mas, saiba, ainda vão usar muito de sofisma.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Abrace você também...

Postagens mais visitadas deste blog

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.