Pular para o conteúdo principal

Puro Extâse


Se vestiu como se fosse matar alguém. Não digo matar com maldade, e sim matar com tesão, com muito desejo. Desejo forte que lhe ardia pelo corpo, vontade que não iria cessar nem tão cedo. Foi se divertir, como sempre. Brincava com dois ou três, e sempre saia acompanhada de um.
Levava o homem pra sua casa, e fazia muitas sacanagens. Sacanagens das boas, porque ela era mulher fogosa, não se contetava com pouco. Homem que era homem tinha que aguentar, aguentar firme e eu tinha certeza que ela gostava de Homem, Homem mesmo, com 'H' maiúsculo.

Mas, entre essas idas e vindas, entre essas brincadeiras dela, algo que ela não contava jamais que fosse acontecer, aconteceu. Ela percebeu que tinha cansado de suas brincadeiras, de seus joguinhos de amor, e se apaixonou. Resolveu que queria amar, queria se entregar, dá uma chance ao maior tesão da vida, ao amor. E foi em busca disso, não mais das sacanagens que ela tava acostumada, e sim do amor da vida dela que ela ainda não tinha encontrado.
Garanto que quem fisgar essa mulher, será um homem de sorte.

Comentários

  1. Fafadxinha essa mulher, hein, Milla. :PPP
    Muito bom o texto... Ela ainda volta aqui no blog? Rs.

    ResponderExcluir
  2. Rs. Volta e meia ela aparece por aqui, Dinho. Fica atento, hein. A, obrigada!

    ResponderExcluir
  3. passa o numero dela ai, pará!!(6' =D

    ResponderExcluir
  4. Tsts, todo mundo querendo o numero da safadona. :x

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Abrace você também...

Postagens mais visitadas deste blog

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.