Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2009

5 Minutos.

Sentei. Esperei. Tomei meu café, e olhei dentro dos seus olhos como se fosse a última vez. E era a última vez. Nós fracassamos, sim. Sempre fui fraca, mas você me fez suportar mais do que eu imaginava. Não sei como tantos planos foram pro ralo assim, num passe de mágica. Em apenas 5 minutos, tudo que eu sentia se esvaiu. A culpa não é sua, a culpa é só minha mesmo. Te enganei demais, né?! É, mas eu também me enganei. Não te culpo, apenas me culpo. Sinto falta do seu abraço, era aconchegante. Mas, eu prefiro estar sozinha. Funciono melhor, sei lá.

Novo Tempo

Então quis sumir, abandonar tudo. Deixar problemas, tristezas, desamores, mágoas lá atrás. Não quis mais lembrar do que lhe aflingia tanto naquele tempo. Nunca desejou tanto estar sozinha com ela mesmo, centrada. Quis esquecer todo aquele ano que trouxe à tona problemas passados, coisas que ela queria nunca mais lembrar. Então, esperava ansiosamente pelo pôr-do-sol. Porque ali ela tinha a esperança de anoitecer as mágoas. E com o nascer do novo sol, renascia sua alma, bela e esplêndida, como nunca tinha visto antes.

Sozinha

As vezes acompanhada da minha solidão, eu escuto só os tics do relógio. Estática, olhando pro espelho, juro que por muitas vezes vejo suas mãos tocar nos meus ombros, massageando como antigamente, dizendo que tudo ia ficar bem, e que nunca iria me abandonar. Engano seu. Você me abandonou, e nada ficou bem. Pelo menos pra mim. Lamento sua perda dia a dia, desesperada, tentando encontrar um pedaço seu pra preencher o vazio em mim que você deixou. Deitada agora, tento me tranquilizar. Mas, vem os tics do relógio e agora parece que eles gritam o seu nome incessantemente.

Puro Extâse

Se vestiu como se fosse matar alguém. Não digo matar com maldade, e sim matar com tesão, com muito desejo. Desejo forte que lhe ardia pelo corpo, vontade que não iria cessar nem tão cedo. Foi se divertir, como sempre. Brincava com dois ou três, e sempre saia acompanhada de um. Levava o homem pra sua casa, e fazia muitas sacanagens. Sacanagens das boas, porque ela era mulher fogosa, não se contetava com pouco. Homem que era homem tinha que aguentar, aguentar firme e eu tinha certeza que ela gostava de Homem, Homem mesmo, com 'H' maiúsculo.
Mas, entre essas idas e vindas, entre essas brincadeiras dela, algo que ela não contava jamais que fosse acontecer, aconteceu. Ela percebeu que tinha cansado de suas brincadeiras, de seus joguinhos de amor, e se apaixonou. Resolveu que queria amar, queria se entregar, dá uma chance ao maior tesão da vida, ao amor. E foi em busca disso, não mais das sacanagens que ela tava acostumada, e sim do amor da vida dela que ela ainda não tinha encontra…

Bate, Bate...

Um copo de whisky, uns cigarros já tragados no cinzeiro e minha solidão, tudo que eu tenho nesse momento. Eu queria voltar pra você, minha emoção também queria. Mas a razão, como sempre, falando mais alto que tudo e todos não me deixou sair por aquela porta que você saiu e correr atrás de você como sempre fiz.
Quando amamos não vemos o que fazemos, e só depois que você acorda, desperta, que você percebe quantas burradas fez. Eu corria, me humilhava por você, e você me tinha como se eu fosse uma a mais na sua vida. E eu sabia que podia ser mais do que "uma".Foi então que eu acordei após uma pancada muito grande na minha vida, que foi o barulho que você fez ao bater a porta saindo (provisoriamente) da minha vida. Hoje em dia eu tenho fortes dores de cabeça, não pelo whisky e pelas ressacas que ele me causa, e sim pelo barulho inconstante que você faz ao bater na minha porta pedindo pra voltar pra minha vida.

Breve (Ou distante) Futuro.

Eu não imagino mais ninguém além de mim, só eu mesma. Eu, meu blog e um whisky. Rs, isso mesmo, whisky. Homem não. Homem dá dor de cabeça. E entre uma dor de cabeça masculina, e uma dor de cabeça de ressaca, eu fico com a da ressaca.
Ressaca é aquilo, né. Você dorme chapada, de maquiagem borrada, com dor de cabeça. Acorda com dor de cabeça, toma um banho e tudo passa.
Mas amor, não. Amor não se esquece fácil, amor não passa fácil e a dor de cabeça sempre volta. Sem contar que você vive borrando a maquiagem de tantas lágrimas que ele causa.

"O uísque é o melhor amigo do homem. É o cachorro engarrafado"

(Vinicius de Moraes)

E eu...

E eu ouço Cazuza, Ana Carolina, Barão Vermelho, entre outros.
E eu leio, penso, reflito, viajo nas minhas emoções, volto pra razão, aterrizo como se fosse explodir em motivos que não me querem emotiva.
E eu, eu quero sossegar, quero ficar estática, sozinha, pensativa. Sem apurrinhações, sem nada que me preocupe ou me procure. Centrada, pensando em mim. Só em mim, o mundo agora gira todo ao meu redor.