Pular para o conteúdo principal

Mensagens Subliminares

Nós mulheres somos dotadas de um dom incrivel, que ninguém jamais pensou em possuir. Não falo de sexto sentido e todas as outras parafernalhas que nós já conhecemos, falo daquele dom de querer descobrir o significado de tudo o que nos falam e fazem conosco, principalmente os homens.

Fico impressionada com isso, eu sou assim por isso falo com tanta certeza. E me pergunto, por que será que levamos tudo tão ao pé da letra? Por que tentamos descobrir o significado de cada palavra, cada pedaço da conversa que temos com quem nos interessa? Isso chega a ser irritante.

Você passa ali horas e horas se martirizando, por quê ele fez isso, disse aquilo, agiu daquele modo. Pensando, martelando, tentando encontrar respostas pra suas perguntas, que sempre costumam ser milhares, e pensa coisas maravilhosas, coisas terríveis. Mas, será que vale a pena pensar tanto assim?

Imaginar milhares de situações é tão fácil, que chega a ser dificil encarar a realidade nua e crua da vida. Ser mulher é tão dificil em tudo, até nos pensamentos. Mulher parece não conhecer a razão, sempre parte pro lado da emoção e de seus maldosos sentimentos. Digo maldosos porque sempre maltratam nossos pensamentos, nosso coração. Que atire a primeira pedra quem nunca sofreu por amor!

Será que algum dia nós, mulheres, conseguiriamos parar com isso de tentar achar mensagens em tudo que eles fazer e dizem pra nós?
Nossa, complicado!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

sem rumo

Passado o tempo Es pa ço Apressa o passo Rumo Ao Sem rumo. Não há volta, Nem caminhos Tra ça dos Os laços Desfaço Os nós E sigo... Sem rumo Ao
Meu mundo.

Rubi

Se preparava para sair. Era mais uma noite. Mais uma de tantas, mais uma de muitas. Gal Costa em um volume agradável, dizia: “Sou dessas mulheres que só dizem sim”. E talvez ela fosse dessas mulheres que só dizem sim. Um preparo, uma taça de vinho, aquela noite era dela. Apesar de ser uma pessoa diurna, sentia que algumas noites reservavam coisas especiais destinadas para ela. E ela seguia... Ritual de sempre: cabelo, roupa, maquiagem. E o velho companheiro lá, espreitando tudo e esperando para o gran finale. Sabia que sua hora chegaria, sabia que sua hora preciosa de estar naquelas mãos pequenas chegaria e ele aguardava suavemente. Joga o cabelo para cá, amassa de lá. Volume importa! Roupa 1, não Roupa 2, nem pensar Roupa 3, ok. Talvez. Não sabe. Deixa em aberto essa questão. Parte para a maquiagem. Processo chato, processo demorado. Gostava da própria pele, gostava do jeito que a sua pele tinha histórias para contar. Cada sorriso, cada olhar de surpresa, de susto, de alegria, cada ‘cada’ de se…

depois

Das coisas que não devem ficar para depois:
silêncios;
abraços;
palavras;
soluços;
sorrisos;
amor,
amor,
amor.

Eternidade é momento.